Background Image
0 0
Molho pesto, receita original de Gênova (Itália)

Compartilhe em suas redes sociais:

Ou você pode simplesmente compartilhar a URL

Ingredientes

Quantidade de porções
2 xícaras para chá Folha(s) fresca(s) manjericão opções: rúcula, agrião, salsinha ou coentro
1/2 xícara para chá Azeite
30g Pinoli
100g Queijo parmesão
1 colher para café Pimenta do reino
A gosto Sal Dependendo do queijo usado você não vai precisar de mais sal
1 dente Alho

Informação Nutricional

80g
Porção
650
Calorias
24
Proteínas
50
Gorduras
19
Saturadas
2
Carb.
1
Fibras
721
Sódio
0
Açúcar

Marque essa receita

Você precisa fazer login ou se cadastrar para marcar este conteúdo.

Molho pesto, receita original de Gênova (Itália)

Tipo:
  • Molhos
Cozinha:

Este tradicional molho, que surgiu na região norte da Itália, é preparado com folhas de manjericão, azeite, alho e parmesão, sendo que a receita tradicional pede ainda o caro pinoli e o não menos caro “Parmigiano-Regiano”.

  • 15 min
  • Porções 4
  • Fácil

Ingredientes

Instruções

Compartilhar

O molho pesto, do qual tanto ouvimos falar, é muito mais simples de se preparar do que a maioria imagina. A verdade é que, apesar de famoso, o molho pesto é pouco comum nas mesas brasileiras, fica normalmente  restrito aos restaurantes italianos e mesmo assim quase sempre acompanhando uma burrata.

O preparo deve ser feito em um almofariz de mármore, isso porque instrumentos de metal intensificam a oxidação do manjericão deixando-o com uma coloração escura. Por isso, ao menos a princípio, liquidificadores e processadores estão fora de questão nessa receita. Este cuidado pode parecer exagero, contudo garanto que você não quer ter a desagradável surpresa de olhar para o seu belo molho 5 minutos antes de servi-lo e descobrir que aquela sedutora colocação verde-musgo agora lembra mais uma triste vasilha de chimichurri no final de um churrasco. O próprio nome deste molho está intimamente ligado ao seu tradicional modo de preparo. Pestello é o pilão de madeira usado no almofariz, o nome evoluiu até se tornar apenas pesto.

Se você não tem um almofariz em casa aqui vão algumas alternativas para preparar o seu molho pesto:

1) Use o batedor (que é de plástico) para massas leves do seu processador, como a da foto abaixo. Foi exatamente a que eu usei e funciona muito bem.

2) Deixe o liquidificador ou a jarra do processador (completa, com a faca e tudo mais) no congelador por 1 hora antes de preparar o pesto. A baixa temperatura diminui a oxidação.

3) Pique o manjericão à mão usando uma faca de cerâmica.
P.s.: Agora você finalmente descobriu uma utilidade real para aquela faca de cerâmica que você comprou pela internet.

 

ATENÇÂO: De nada vai adiantar tomar todos os cuidados e não se preocupar na hora de guardar o seu pesto. Para não oxidar e escurecer ele precisar ficar completamente coberto por azeite, se necessário adicione mais azeite depois de pronto. Lembrando que o molho pode ficar na geladeira por até 5 dias e ser congelado e guardado por 3 ou 4 meses.

Passos

1
Feito

O preparo é muito simples, apenas coloque tudo no processador (ou liquidificador) e processe até as folhas atingirem o tamanho um pouco maior do que um orégano seco. De preferência coloque o alho já amassado. Acerte o sal ao final.

Usando o a faca de cerâmica

Com exceção do manjericão, coloque os demais ingredientes no processador e ligue por 30 segundos. Transfira para uma vasilha de vidro ou cerâmica. Pique o manjericão bem fino usando a faca de cerâmica e misture imediatamente com os demais ingredientes, prove e acerte o sal.

Usando um amofariz

Primeiro esmague o dente de alho com uma pitada de sal grosso (cuidado com a quantidade de sal, o parmesão já é muito salgado). Junte o pinoli e triture bem. Agora coloque as folhas de manjericão e continue triturando em movimentos circulares. Coloque o azeite e o queijo ralado, continue mexendo até obter uma mistura na qual tudo esteja bem integrado. Ao final verifique e acerte o sal.

Alexandre Litwinski

Ele é um Analista de Sistemas mineiro que passou por uma grande evolução nessa vida! De uma pessoa que simplesmente não gostava de comer (eu não sei como isso é possível) para um talentoso e curioso cozinheiro de mão cheia.

Avaliações da Receita

Ainda não existe avaliaçõe para essa receita, deixe a sua avaliação no formulário abaixo
Risoto caipira, o risoto da casa de mãe
anterior
Risoto caipira, o risoto da casa de mãe
Guacamole, aprenda a preparar a receita original
próximo
Guacamole, aprenda a preparar a receita original
Risoto caipira, o risoto da casa de mãe
anterior
Risoto caipira, o risoto da casa de mãe
Guacamole, aprenda a preparar a receita original
próximo
Guacamole, aprenda a preparar a receita original

31 Comentários Esconder comentários

Uma delícia esse pesto.
Já fiz diversas adaptações, que não sei se podem realmente ser chamadas de pesto, mas que são deliciosas.
Na falta de pinoli, já usei nozes. No lugar do manjericão, já usei rúcula ou até mesmo espinafre. Todas as versões ficaram deliciosas.

Gostaria de saber se é possível que esse molho passe algum tempo fora da geladeira. Gostaria de produzi-lo em conserva, como deviria proceder?

Eu amo pesto! Sempre faço uma receita muito parecida em casa, mas coloco um pouquinho mais de alho pq gosto dela puxado no alho! Nem sempre tenho os pinoles. Vou comprar e fazer essa receita para ver como fica e qual meu favorito!
Uso muito para fazer bruschetinhas! 🙂

Obrigada! Beijos!
http://www.vivendojunto.com.br

Oi Mariana, macadâmia é uma noz que substitui muito bem o pinoli nessa receita, contudo também não é tão fácil encontrá-la. Caso não encontre nenhum dos dois, você pode usar castanha do Pará e até mesmo amendoim. Abraços.

Pessoal, somos uma família ítalo-brasileira, consumimos molho perto e já o fizemos, e ficou ótimo,com castanha de caju substituindo os pinoli.
Abraços.
Juli

Encontrei várias receitas utilizando o queijo pecorino, mas percebi que vc não utilizou na sua receita. Não tenho padrão para este molho, pois comi poucas vezes. Gostaria de saber o que vc acha deste queijo e se realmente é essencial para a receita do tão famoso pesto italiano…….

Bater muito o manjericão tb o escurece o que acontecerá se vc usar uma pá pra bater massa, não algo para picar. Segui todo passo a passo e no final meu molho ficou com pedaços de manjericão grandes emoles e não picadinhos, o gosto ainda é bom mas muda a textura sem contar na cor. Eu faria tudo igual mas bateria tufo rapidamente no liquidificador.

Oi paula, o mais importante é sempre usar variedades verdes, isso em função do gosto e principalmente do aspecto. Mesmo na Itália existem dezenas de tipos de manjericão, por isso mesmo é mais uma questão de gosto, não existe o melhor para o preparo do molho pesto. Aqui no Brasil o mais comum é o “manjericão Comum” ou “manjericão alfavaca”. A variedade mais mediterrânea que temos no mercado é o famoso Basílico. Suas folhas são mais arredondadas e enrugadas, isso se comparadas as do manjericão comum. Eu me preocuparia mais em usar um azeite e pinoli de qualidade do que com o tipo do manjericão. Abraços.

Manjericão basílico:
Manjericão basílico

Uau, amei tudo. Tecto com ótima didática e processo metodológico claro com desencadeamento generoso das informações. As perguntas dos internautas foram enriquecedoras e as suas respostas foram simples, claras e redondas! Parabéns, Alexandre Litwinsk! Grata.

Oi, Alexandre! Meu marido também é analista de sistemas, passando por uma evolução culinária! De pessoa que só sabia passar um cafezinho ou cozinhar um ovo, a um bom cozinheiro de receitas veganas. Vou fazer a receita do pesto. Gostei muito de seu site!! Grazie!

Deixe o seu comentário